Coopercocal e sua história

 

001EM MEADOS DE 1930, o industrial, comerciante e intendente distrital (de 1931 a 1937) Ângelo Peruchi aproveitou uma queda d’água no Rio Cocal e instalou um dínamo, que gerava energia elétrica em corrente contínua para o então distrito de Cocal, pertencente ao município de Urussanga. Por meio de uma concessão da Prefeitura Municipal para 20 anos, produziu energia elétrica domiciliar e pública, que se estendia das 19 às 23 horas. A partir das 21 horas, eram emitidos sinais “pisca-pisca” avisando que a energia seria desligada.

Em 1943, passou a concessão para os próprios donos do terreno, Luiz e Paulo Cechinel, que deram continuidade ao trabalho até 1953.

5A partir de 1954, a Cerâmica Cocal Ltda, que produzia artesanalmente e comercializava revestimentos cerâmicos (azulejos), como supria suas próprias necessidades, disponibilizou a distribuição de energia à população por meio de uma rede própria de alta tensão, alimentada pela Cia. Carbonífera Próspera (subsidiária da Cia. Siderúrgica Nacional – CSN), de Criciúma, onde havia um medidor de energia.

Com o encerramento das atividades da cerâmica no primeiro semestre de 1959, Venícios Búrigo (neto do imigrante que idealizou e realizou a obra do Palazzo Búrigo em 1906, onde funcionou inicialmente a sede da Coopercocal) responsabilizou-se por intermediar o relacionamento entre a CSN e os consumidores, efetuando as cobranças das contas e fazendo os pagamentos à estatal.

Em 1960,quando a Eliane Revestimentos Cerâmicos assumiu o ativo e passivo da Cerâmica Cocal, as atividades foram retomadas, responsabilizando-se até 1964 pela distribuição de energia. Foi então que a primeira rede de distribuição da cooperativa começou a ser montada, em apenas um trecho do perímetro urbano, ficando pronta em 1967.

 O SONHO DOS AGRICULTORES

DÉCADA DE 1960. Na época, Cocal ainda era distrito de Urussanga. Devido em parte à criação da Cerâmica Eliane, que transformou a cidade, o local retomou o seu crescimento populacional, uma vez que muitos dos seus habitantes haviam deixado o distrito para se instalar em novos centros comerciais, principalmente Criciúma, em virtude da abertura das minas de carvão. Surgia também a necessidade de mais mão-de-obra.

Foi então que Cocal deixou de basear sua economia nos abates suínos, na indústria de cerveja, nas atafonas, nos estabelecimentos que vendiam de tudo, surgindo também o distrito da produção cerâmica. Iniciava-se aí uma nova história para o local.

Por outro lado, também era um período difícil e conturbado no País, marcado pela fragilidade das instituições governamentais e pelo Golpe Militar.

002Apesar desse cenário, começava a ser concretizado o sonho de muitos agricultores, que desejavam crescer e melhorar a qualidade de vida do homem do campo. Nos primeiros anos da década de 1960, foram feitos os encaminhamentos iniciais para a criação da cooperativa. Nascia assim a Cooperativa de Eletrificação Rural de Cocal do Sul (Cercocal) no dia 2 de março de 1964, tendo como primeiro presidente Venícios Búrigo e 87 sócios fundadores.

No início,quando o Governo do Estado lançou a Erusc (Eletrificação Rural de Santa Catarina S.A), a cooperativa se inscreveu para participar desse programa. Então foi elaborado um estatuto, que foi enviado a Florianópolis para ser implantado, Nesse meio tempo, houve mudanças na legislação da Erusc, e um novo estatuto foi criado, sendo só aprovado e registrado em 1968.

Enquanto isso eram mandados materiais e profissionais, sob a fiscalização de um responsável para a região Sul do Estado.

O crescimento de Cocal e a necessidade de um atendimento aos agricultores próximos ao distrito exigiram a ampliação da rede, distribuição e melhores serviços.

Aos poucos, com a expansão da cooperativa, foram sendo feitas outras redes até 1971. O interior também passou a ser atendido, como as localidades de Linha Tigre, Linha Vicentina, Linha Ferreira Pontes, Linha Braço Cocal, Rio Perso, Linha Cabral, Linha Estação Cocal, Rio Galo e Linha Espanhola.

Quando já contava com uma diretoria, Urussanga também começou a ser atendida pela cooperativa em 1971, a partir da incorporação da Cooperativa de Eletrificação Rural de São Pedro Ltda., atingindo as localidades de Rio Molha, Alto Rio Molha, Belvedere, Rio Caeté Alto, Rio Caeté Baixo, Rio Deserto, Palmeira do Meio, Palmeira Alta, Palmeira Baixa, Morro de Palha, De Villa, São Pedro, Rancho dos Bugres, Morro da Lagoa, Pedras Grandes, Santaninha, Rio Salto, Pirago, Rio Carvão e Rio Carvão Alto.

PALAZZO BURIGO PRIMEIRA REFORMA 1935PRIMEIRA SEDE E O TRABALHO VOLUNTÁRIO E ABNEGADO

ELABORADOS OS ESTATUTOS e eleita a primeira diretoria, faltava um local para abrigar a sede da cooperativa. Dessa forma, o escritório e o depósito para os materiais foram instalados nos fundos de um prédio de três pavimentos (Palazzo Búrigo, já com a reforma de 1935, contendo duas alas laterais, com terraços fechados com balaústres), onde residia a família Búrigo, cujo patriarca era Ferdinando, e funcionava a firma Búrigo. Nesse local, em uma escrivaninha improvisada, eram feitos os primeiros apontamentos da cooperativa.

Depois, foi desocupada uma sala da frente, na parte térrea do prédio, onde ficava a sala de visita da residência de Venicios Búrigo. Ali o escritório funcionou até 1973, quando foi concluída a construção da primeira sede social, na gestão presidida por Jarvis Gaidzinski.

Ainda nessa administração, Venícios ficou como gerente e contador até 1976, quando terminou os dois mandatos de Jarvis como presidente.

Naquela época, os cargos de presidente e gerente não eram remunerados, o que se deu até o ano de 1976, mas isso não impediu que a cooperativa funcionasse. Boa vontade era o que não faltava, pois até a locomoção para dar manutenção ás redes era feita com a Rural Willys do então presidente Venícios Búrigo, com o pagamento do combustível feito por quilometragem. Venícios até se colocava á disposição para trocar fusíveis em caso de impedimento de eletricista.

Muitos outros também não mediram esforços para colaborar e concretizar o sonho de uma cooperativa para entender a região.

Nos primeiros anos, os trabalhos exigiam mais esforço manual, como o levantamento de postes.

A SEDE PRÓPRIA

Com o crescimento da cooperativa, surgiu, naturalmente, a necessidade de uma reestruturação, que passava, principalmente, pela construção de uma sede própria.

Isso não demorou a se concretizar. Em 28 de dezembro de 1973, um ato inaugural da sede administrativa própria marcou a conquista, tendo como orador Venícios Búrigo e corte da fita por Ângelo Arley Zanette, no lugar do presidente, que estava ausente.

Em pouco tempo, a cooperativa se expandia, procurando servir melhor o quadro de sócios, bem como suprir as próprias necessidades dos setores de manutenção. A antiga sede passou então por uma reforma e ampliação, ganhando também uma loja de materiais elétricos, máquinas e motores, que atendia o setor de manutenção e os associados. A inauguração se deu em 1978.

Com o passar dos anos, a sede construída já não oferecia estrutura suficiente e adequada para suprir a necessidade da crescente quantidade de associados. Foi então que surgiu a ideia de se construir uma nova e mais ampla sede administrativa, possibilitando maior versatilidade na prestação de serviços e atendimento especializado aos associados e consumidores da Coopercocal.

No dia 2 de MARÇO DE 2001, durante comemoração do aniversário de 37 anos da cooperativa, a atual sede administrativa da Coopercocal, com 10 mil metros quadrados, foi inaugurada, com uma significativa presença de convidados e de associados.

MUDANÇAS E DECISÕES ESTRUTURAIS IMPORTANTES.

  • 16 DE OUTUBRO DE 1971

Seguindo o plano do governo do estado de regionalizar as cooperativas de eletrificação Rural de São Pedro Ltda. Foi incorporada á Cooperativa de Eletrificação Rural de Cocal do Sul – Cercocal.

  •  22 de maio de 1977

A Cooperativa de eletrificação Rural de Urussanga foi integrada á Cercocal.

  •  1978

Ano da primeira eleição.

  •  29 de fevereiro de 1984

A Cercocal é filiada á federação das Cooperativas de energia do Estado de Santa Catarina- Fecoerusc.

  •  02 de junho de 1985

A cooperativa Agropecuária de Urussanga Ltda. Foi incorporada à Cercocal.

  •  20 DE JULHO DE 1985

Mudança da razão social para Cooperativa Mista de Cocal Ltda.(Coopercocal).

  •  20 de julho de 1985

Reforma estatutária e homologação para construção de conjunto para secagem de armazém de grãos e ampliação da rede.

  •  27 de março de 1999

Aprovado o fechamento da loja em Urussanga (Filial 1 )  e do Secador (Filial 2).

  •  28 de março de 2003

Sede administrativa recebe o nome de Raulino Furlan (in memorian) por ter participado do corpo funcional por vários anos e ter sido um dos primeiros eletricistas.

  •  15 de julho de 2007

Prorrogação do mandato do conselho de administração.

GALERIA DE EX-PRESIDENTES

Cooperativa Energética Cocal
Av. Dr. Polydoro Santiago, nº 555 - Centro
Cocal do Sul - SC - CEP: 88845-000
Fone: (48) 3447-7000